Você está aqui: Blog da Affego
-
   
Enviado em 16/10/2017 às 12h54min
 
 
• SOCIAL
Vem aí a 3ª Excursão Affegueana rumo a Caldas Novas!

Alexandro Lima




A Affego está preparando uma grande festa para seus associados e convidados em Caldas Novas. Entre os dias 9 a 12 de novembro acontecerá mais um Encontro do Fisco no Hotel Termas Caldas Affego com atividades de lazer e confraternização estreitando cada vez mais o laço de amizade entre os affegueanos.

Já prepare sua fantasia e venha se divertir conosco em uma noite especial: Baile Hawaiano! E não se esqueça de convidar seus amigos para aproveitarem esse momento ao seu lado no Hotel Termas Caldas Affego!

Para mais informações entre em contato no telefone: (62) 3096-7653 falar com Socorro.



 
Fonte/Autoria: Alana Sales • ASCOM

 
Enviado em 11/10/2017 às 11h20min
 
 
• GESTÃO
Gestores estudam mudanças no regulamento do Affego-Saúde

Alana Sales

Reunião entre os gestores da Affego e do Affego-Saúde com o advogado José Luiz Toro


A Diretoria Executiva e o Conselho de Administração da Affego autorizaram na segunda-feira, 9, a contratação do escritório de advocacia paulista Toro e Advogados Associados para efetuar uma revisão completa do regulamento do Affego-Saúde com o intuito de adequá-lo às normas mais recentes da Agência Nacional de Saúde (ANS).

O escritório ficará encarregado de analisar o atual regulamento, propondo eventuais alterações em razão da legislação vigente. A minuta com a revisão do regulamento será apresentada ao Conselho de Administração até o final desse mês.


 
Fonte/Autoria: Alana Sales • ASCOM

 
Enviado em 10/10/2017 às 11h47min
 
 
• GESTÃO
Conselho de Administração autoriza melhorias em república de Formosa

Alana Sales

Grupo se reuniu antecipadamente ontem para discutir situação de república em Formosa

A reunião contou com a presença do delegado fiscal de Formosa, Sergimar Soares, que defendeu a manutenção da república
Com a presença do delegado fiscal de Formosa, Sergimar Soares, o Conselho de Administração da Affego se reuniu ontem (9) para deliberar sobre a situação do imóvel utilizado como república pelos auditores fiscais lotados na cidade. O terreno de mais de 1 mil metros quadrados em que funcionava um antigo Posto Fiscal, serve hoje de abrigo aos funcionários do Fisco estadual, que solicitam melhorias para aumentar a segurança do espaço.

Uma das reivindicações é a construção de um muro para proteger o local de possíveis invasões. A solicitação feita pelos associados de Formosa foi encarada pela Diretoria Executiva, a princípio, com cautela, já que o imóvel não está registrado no nome da Affego.

“Desde que o Posto Fiscal foi desativado aquele terreno foi ocupado pelos auditores, que improvisaram uma república. Para ajudá-los, a Associação se comprometeu a pagar contas de água e luz, o que vem ocorrendo há quase um ano. Mas não sabemos se construir no local é realmente recomendado, já que o lugar não é nosso”, pondera o diretor Orismar Parreira Costa.

Mas para os auditores de Formosa, a não propriedade por parte da Affego não é um empecilho, já que o real proprietário nunca foi localizado, nem reclamou a posse do terreno. Além disso, o compromisso com a área demonstrado pela entidade até o momento poderá, futuramente, ser determinante para que a associação conquiste a efetiva posse do terreno sob a alegação de usucapião.

Proprietário desconhecido

O terreno em que funcionava o antigo Posto Fiscal estava em posse do Estado desde 1959. Durante todo o período em que funcionou o Posto, ficava sob a responsabilidade da administração estadual o pagamento de todas as despesas com a manutenção do local. O real proprietário do lugar nunca reivindicou sua posse, tampouco foi localizado seu paradeiro.

Grupo de Trabalho

Apesar do impasse quanto à posse do terreno, o Conselho de Administração entendeu que a Affego deve, nesse momento, prezar pelo compromisso assumido com os associados de Formosa: manter a república e realizar melhorias no local. Foram autorizados até R$ 100 mil em benfeitorias, que incluem a construção do muro, reparos na construção atual, entre outras.

Mas para que o investimento não seja vão, o Conselho sancionou também a criação de um Grupo de Trabalho que ficará incumbido de realizar um amplo estudo jurídico para analisar todas as possibilidades e condições necessárias ao requerimento de usucapião do terreno. Um dos pontos a serem analisados é a situação do IPTU do imóvel, que deverá ser assumida pela Affego, aumentando assim as chances de uma solicitação bem sucedida do imóvel.

O advogado Alexandre Iunes, do escritório Iunes e Advogados Associados, acompanhará o estudo e auxiliará o Grupo de Trabalho na elaboração do parecer sobre a área. O assunto voltará a ser debatido na próxima reunião do Conselho de Administração, em novembro.



 
Fonte/Autoria: Alana Sales • ASCOM

 
Enviado em 10/10/2017 às 11h19min
 
 
• DEPOIMENTO
Associado elogia qualidade no atendimento do Affego-Saúde

Alana Sales

João Rafael Sobrinho é um participante ativo da administração da Affego


João Rafael Sobrinho, 74, é um nome e uma figura conhecida dos affegueanos. Membro do Conselho de Administração da Affego e ex-titular do Conselho Auxiliar de Gestão do Hotel Termas Caldas Affego, o associado é um participante ativo da associação em todas as suas gestões.

O que pouca gente sabe é que o conselheiro enfrenta, em sua vida pessoal, uma luta em prol da saúde do filho, João Rafael Júnior, de 40 anos, diagnosticado recentemente com um câncer colo-retal. João Rafael pai afirma que a luta tem sido vitoriosa, primeiro pelo apoio na fé, mas também pela assistência incondicional prestada pelo Affego-Saúde, do qual ele e o filho são beneficiários.

“A receptividade ao plano que vemos nas clínicas é impressionante. Até a avaliação dos médicos que nos atendem comprovam que o Affego-Saúde é um dos melhores planos do Brasil”, revela o colega.

Além da boa recepção da equipe de prestadores, João Rafael Sobrinho destacou também a facilidade em obter a medicação que garantiu o início do tratamento quimioterápico de seu filho, que já completou 40 sessões de quimio. “Nós trazemos as receitas do medicamento para a Assistência Social do Affego-Saúde e eles no mesmo momento fazem o pedido para que o remédio venha de São Paulo, porque ele ainda não é vendido em Goiás”, conta o associado.

Seu filho também passou por sessões de radioterapia, 30 no total, e agora aguarda para ver como a doença reagirá a essa primeira fase do tratamento. Os médicos devem fazer um novo prognóstico em breve.

“Toda essa assistência, a facilidade com que somos recebidos, dá mais tranquilidade pra gente nesse momento”, revela João Rafael Sobrinho. Se depender do apoio da equipe do Affego-Saúde, e da torcida dos colegas affegueanos, a cura de Rafael Junior é uma questão de tempo!

Todo o apoio à família do colega!



 
Fonte/Autoria: Alana Sales • ASCOM

 
Enviado em 09/10/2017 às 17h06min
 
 
• CLIPPING
Recursos do Imposto Sindical serão aplicados no combate ao trabalho escravo e infantil

Acordo entre centrais sindicais, Ministério do Trabalho, AGU e Caixa foi mediado pelo MPT

Brasília – Com a mediação do Ministério Público do Trabalho (MPT), foi fechado nesta quinta-feira (5), acordo para devolução de recursos do imposto sindical que deixaram de ser repassados pelo governo federal a centrais sindicais, federações e até alguns sindicatos. O termo de mediação foi assinado por sete centrais sindicais, o Ministério do Trabalho, a Caixa Econômica Federal (CEF), a Advocacia-Geral da União (AGU) e o MPT. O montante da dívida ainda será apurado pelo ministério, mas, pelo acordo, as centrais concordaram em destinar 15% do total para ações de combate ao trabalho escravo e ao trabalho infantil.

As centrais sindicais identificaram que, entre 2008 e 2015, houve retenção, por parte do governo federal, de parte da contribuição sindical devida. O presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP), afirmou que um levantamento preliminar, com apenas seis sindicatos, encontrou um débito de R$ 16,5 milhões, além de grande distorção entre o que era pago aos sindicatos e às centrais.

Por isso, as centrais procuraram o ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, para cobrar a dívida e também o procurador-geral do Trabalho, Ronaldo Fleury, para mediar a negociação entre os sindicalistas e o governo. Fleury conversou com Nogueira e marcou a primeira audiência de negociação na última semana de setembro. Em nova audiência, realizada nesta quinta-feira, chegou-se ao acordo com a assinatura do termo de mediação. A previsão é de que os primeiros valores sejam identificados nos próximos 30 dias.

“O acordo traz o que é mais importante no direito social, no direito do trabalho, que é a pacificação social. Havia uma demanda por parte das centrais e uma necessidade de reposta por parte do governo. E quero agradecer, em nome do MPT e da sociedade a disposição das centrais de abrirem mão de 15% do total a que terão direito, em prol da fiscalização do trabalho escravo e infantil”, disse Fleury. ” Não temos informação ainda do montante, mas já sabemos que são valores significativos. E parte desse valor vai para programas de assistência a crianças retiradas do trabalho infantil, seriamente ameaçados na proposta orçamentária de 2018.”

O ministro do Trabalho ressaltou a importância da atuação do MPT na mediação e disse que o grupo de trabalho fará uma nova portaria estabelecendo os ritos para o pagamento da dívida para com as entidades sindicais. “Com a mediação, houve pacificação de entendimento. Quero enaltecer o gesto das centrais sindicais que abrem mão de parte dos recursos para investir no combate ao trabalho escravo e infantil.”

Entre os pontos acordados, está o compromisso do Ministério do Trabalho de fazer, junto com a CEF, o levantamento dos valores que não foram repassados às entidades sindicais. O primeiro ato será a revogação de uma portaria que paralisou a tramitação de cerca de 500 processos de restituição. Segundo Nogueira, a análise será retomada e a restituição obedecerá a ordem cronológica para o pagamento.

As centrais irão participar do grupo de trabalho, formado por técnicos do Ministério do Trabalho, CEF e AGU, para a elaboração de uma nova portaria que disciplinará a forma de pagamento dos valores retidos. Além de encaminhar 15% do valor a que têm direito para ações de fiscalização do trabalho escravo e infantil, as centrais e entidades sindicais que aderirem ao acordo, também se comprometem a não buscar reparação civil e criminal dessa dívida na Justiça.

Segundo o presidente da Força Sindical, o acordo é importante porque não é “simples” entrar na Justiça conta a União e cobrar uma dívida que ele estima ser muito elevada e demoraria a ser paga. “Pelo acordo, os repasses serão localizados um por um. As entidades abrem mão de 15% para combater trabalho escravo e infantil e abrem mão de entrar na justiça contra a União. E o Ministério do Trabalho, em troca disso, localiza os recursos e repassa imediatamente, através da CEF, às entidades que deixaram de receber”, afirmou Paulo Pereira da Silva. “É um acordo histórico que conseguimos fechar para o sindicalismo brasileiro.”


 
Fonte/Autoria: Jornal do Dia a Dia

 
Enviado em 06/10/2017 às 11h22min
 
 
• LUTO
Falecimento do associado Frederico Brockes

Arquivo

Frederico Brockes


É com imenso pesar que comunicamos o falecimento do auditor fiscal aposentado Frederico Brockes, ocorrido ontem, 05, em Jataí.

Brockes tinha 73 anos e atuou no Fisco goiano por mais de 50 anos. O sepultamento será hoje, 6 de outubro -  no Cemitério JARDIM DAS PALMEIRAS às 19h.

Lamentamos o falecimento do colega Frederico Brockes e oferecemos aos familiares e amigos nossas condolências.


 
Fonte/Autoria: ASCOM

 
Enviado em 05/10/2017 às 16h46min
 
 
• CLIPPING
Adonídio prega simplificação tributária em encontro nacional

divulgação

Adonídio Neto Vieira Júnior, é um dos palestrantes da reunião do Comitê Gestor Nacional de Documentos Fiscais Eletrônico


O superintendente-executivo da Receita, Adonídio Neto Vieira Júnior, é um dos palestrantes da reunião do Comitê Gestor Nacional de Documentos Fiscais Eletrônico, que foi aberta hoje (5/10) em Maceió. Ele falará sobre “Simplificação das Obrigações Tributárias e Propostas de Alteração do Código Tributário Nacional (CTN) amanhã, às 9h40, no segundo e último dia do encontro, que foi organizado pelo Encat-Encontro Nacional de Coordenadores e Administradores Tributários Estaduais.

Adonídio Júnior apresentará experiência goiana exitosa para simplificar os documentos fiscais exigidos dos contribuintes e facilitar a cobrança e pagamento dos tributos. Ele considera indispensável “buscar um melhor ambiente de negócios nos Estados com reflexo positivo para o País”. A Receita Federal do Brasil também defende a simplificação da cobrança dos impostos federais.

Na abertura hoje, às 9 horas, participaram o governador Renan Filho, o secretário da Fazenda, George Santoro, entre outras autoridades alagoanas. Foi apresentado painel “Abordagem sobre ética”, pelo juiz federal Bruno Lorencini e pelo presidente do Instituto ETCO, Edson Vismona. Assuntos como Análise Automática de Documentos Eletrônicos para Cálculo de Impostos e Detecção de Infrações, Microssimulador Estático com Comportamento do ICMS, Mineração de dados, Evento Alerta de irregularidade Fiscal, entre outros, serão discutidos à tarde.

Amanhã (sexta-feira) a reunião vai discutir a Simplificação, a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica, Conhecimento de Transporte Eletrônico e Manifesto do Documento Fiscal Eletrônico e no final, vai deliberar sobre o próximo Encat, a ser realizado em Brasília, no próximo ano.

Também participam do encontro representando a Sefaz, os gerentes de Informações Econômico-Fiscais, Leonardo de Oliveira Meneses, e de Auditoria Contábil, Bruno Marçal e o coordenador de Documentos Fiscais Eletrônicos, Antônio Godoi.


 
Fonte/Autoria: Comunicação Setorial - Sefaz​

 
 

Sindifisco é declarado Entidade Sindical de Utilidade Pública

Confira o andamento das reformas no Hotel Termas Caldas Affego

Apólice de seguro da Affego tem valores atualizados

Affego lança caderno especial em parceria com O Popular

Especialistas elogiam programa de Musicoterapia do Affego-Saúde

Coro Terapêutico é aplaudido de pé em apresentação em Pirenópolis

Furtado participa do Confaz em Brasília


AFFEGO - Associação dos Funcionários do Fisco do Estado de Goiás
Rua Henrique Silva, Nº 312, Setor Sul, CEP 74.083-020 - Goiânia (GO) - Fone: 3218-5051